Mariana Marzano / Realizada com o veganismo | VIVERDEQUÊ?
Fechar

Inscrição para o Curso: LEITES VEGETAIS - 10 NOV


16.mai
16.mai
Mariana Marzano / Realizada com o veganismo

Oi, pessoal! :)

Me chamo Mariana Marzano, sou de BH, tenho 34 anos, sou formada em pedagogia, mas atualmente sou cozinheira e trabalho pela Verde Mary com comidinhas saudáveis, veganas e sem glúten.

Fui vegetariana por 10 anos e em 2016 resolvi fazer a transição para o veganismo. Então desde 2017, sou oficialmente vegana.

Sempre tive muito amor pelos animais e nunca me simpatizei com a ideia de comer carne, mas sempre ouvia que precisava comer pela minha saúde.

Quando eu era adolescente fiquei uma época sem comer e depois acabei voltando. Quando adulta, comecei a questionar e pesquisar mais e vi que poderia viver normalmente sem carne. Foi aí que me tornei vegetariana.

Depois fui conhecendo e me interessando mais pelo veganismo. Adaptei minha alimentação e paladar para fazer a transição e comecei a, inclusive, fazer e depois até a vender, comidas veganas.

Desde o início até hoje, fui acompanhada por uma nutricionista, a Silvana Portugal.

Não tive dificuldade em me tornar vegetariana. Na verdade, para mim, foi uma libertação, um alívio saber que poderia seguir um caminho diferente, algo que minha consciência e coração já ansiavam havia muito tempo.

Com relação ao veganismo, foi uma questão de paladar mesmo. Respeitei meu tempo de transição, fiz algo muito consciente e hoje não tenho dificuldade alguma em adaptar receitas e criar novos sabores.

Com a mudança, só vi pontos positivos. Tudo muda para melhor quando você passa a se alimentar melhor, a cuidar mais da alimentação e fazer escolhas conscientes.

Claro que, no meu entendimento, não adianta nada excluir os alimentos de origem animal e não se preocupar com as escolhas alimentares.Passei a cozinhar mais, me apaixonei novamente de uma forma bem diferente pela culinária, passei a me importar em consumir mais alimentos orgânicos, menos processados. Cultivar uma horta, saber o que se come e de onde vem o alimento, para mim é fantástico. Claro que consumo produtos industrializados, mas evito ao máximo.

No momento estou cortando o glúten e tenho interesse também pela alimentação viva. Sempre estou lendo e buscando conhecer outras formas de alimentação e buscando novas receitas e informações. Procuro o que me faz sentir bem.

Acho que o mais importante para quem está começando a mudança alimentar é pesquisar, ler, se informar, não fazer uma mudança sem acompanhamento profissional para poder tirar dúvidas, não ficar com desequilíbrio nutricional e, principalmente, não aderir a nada apenas por modismo.

Ainda há muito o que melhorar em vários quesitos, mas já temos muito ao nosso alcance: locais para comer, lanchonetes, restaurantes e outros que estão disponibilizando opções vegetarianas e/ou veganas, produtos mais acessíveis de um modo geral, lojas especializadas, tanto voltados para a alimentação, como cosméticos e vestuário e o acesso à informação é enorme em livros, sites, filmes. Além disso, temos que respeitar e conhecer nosso corpo, fazendo escolhas éticas e conscientes. Outro ponto que acho também muito importante é fazer a própria comida. Para mim não tem nada que substitui uma comida feita com amor e sem crueldade. E para isso, hoje temos facilidade e o acesso a muitas receitas. O segredo para quem não tem muita intimidade com a cozinha é não ter medo e arriscar. Nem sempre as receitas dão certo, mas persistência é tudo.

 

Há um pouco mais de um ano eu criei a Verde Mary, que oferece comidinhas veganas, saudáveis e sem glúten.

É um sonho antigo poder trabalhar com comida, porém agora veio de uma forma mais madura e com escolhas mais conscientes. Cursei gastronomia há um tempo atrás e deixei o curso, pois já vinha me interessando em me tornar vegetariana na época e cozinhar animais me incomodava muito.

Mudei o foco e depois fui para a área pedagógica. Porém um bom tempo depois a vida me deu a oportunidade de trabalhar com o que realmente amo: comida.

A Verde Mary surgiu de uma necessidade minha, em achar produtos que gostaria de consumir mas não achava ou, se achava, não gostava. Então fui aprimorando, testando receitas e resolvi compartilhar minhas descobertas e criações.

Assim comecei a vender lanches veganos, tanto salgados como doces. O retorno tem sido muito positivo, fico muito feliz em saber que estou contribuindo para a mudança do mundo de alguma forma, de proporcionar opções saudáveis e sem crueldade para as pessoas. E acabo despertando curiosidade, porque tenho vários clientes que nem vegetarianos são, mas já estão abrindo a mente para uma nova alimentação, a uma adaptação do paladar. Isso me deixa muito feliz.

Contribuir para a expansão do veganismo, mostrar que é possível consumir alimentos veganos, saudáveis e sem glúten que são gostosos e saborosos é a meta da Verde Mary.

No momento somos uma pequena empresa e trabalhamos com delivery, em algumas feiras e eventos. Mas sonho em ampliar nosso atendimento, para ter mais contato com o público e poder oferecer mais opções e ser uma referência nesse segmento. E o mais importante é poder oferecer comidinhas veganas, saudáveis, com ingredientes de qualidade e feitas com muito amor e carinho.




PESQUISAR:

Débora Campos - autora
apoie o blog viverdequê?
quer anunciar no viverdequê?