Karina Mendes / Ovolactovegetariana a caminho do veganismo | VIVERDEQUÊ?
Fechar

Inscrição para o Curso: LEITES VEGETAIS - 10 NOV


2.mai
2.mai
Karina Mendes / Ovolactovegetariana a caminho do veganismo

Oi, pessoal! Meu nome é Karina Mendes, tenho 29 anos, sou atriz e moro no Rio de Janeiro. Sou ovolactovegetariana e estou em transição para o veganismo.

Eu sempre amei todos os animais, sem exceção. Nunca me pareceu muito certo comer um pedaço de animal morto, porém sempre achei que parar de comer carne animal seria muito difícil, chato, caro e que eu não conseguiria.

Continuava a comer carne e, principalmente, frango. Mas sempre com aquele peso na consciência, especialmente quando me deparava com anúncios de campanhas a favor do veganismo.

Com o avanço das redes sociais, comecei a ver mais desses anúncios. Um dia estava assistindo à TV e vi uma receita de hambúrguer de banana. A mulher que estava preparando, disse que a receita agradava aos vegetarianos. Até então não tinha ouvido falar em hambúrguer sem ser de carne. Procurei a receita na Internet e fiz em casa.

Comecei a entrar em grupos que as pessoas compartilhavam receitas veganas e foi aí que eu descobri que conseguiria viver comendo maravilhosamente bem, sem precisar ficar com a consciência pesada por estar comendo um pedaço de um animalzinho que foi morto. Hoje em dia, sei que é possível fazer hambúrguer de várias maneiras diferentes!

Então há aproximadamente 1 ano e 7 meses, deixei de comer carne animal. Não tive dificuldades. Como disse anteriormente, as receitas que as pessoas compartilhavam e os sites de receitas que elas indicavam, me ajudaram bastante!

Hoje em dia existem muitas opções, industrializadas ou não, para substituir a carne e os derivados. Atualmente, a minha maior dificuldade está em largar o açúcar do leite condensado e recusar comidas sem queijo e ovo fora de casa. Em casa, para preparar minhas comidas veganas, não sinto dificuldades.

Acredito que o maior ponto positivo dessa alimentação é ter a consciência tranquila de que não estou contribuindo para uma indústria que tortura e mata os animais.

Quanto à alimentação em si, não vejo nada de negativo. A parte mais chata é ter que aguentar piadas de pessoas que comem carne, que não respeitam sua escolha e questionam sua alimentação apenas para te provocar.

Como fui atrás de informações sobre as fontes de diversos nutrientes em vegetais, acabei me sabendo também sobre alguns alimentos que fazem muito mal para o organismo, como o açúcar refinado e a farinha branca. Pretendo parar de comer alimentos que tenham esses ingredientes.

Minhas dicas para quem está começando agora é: primeiramente, procure receitas veganas.

Tem um grupo no Facebook chamado Ogros Veganos, em que as pessoas compartilham receitas incríveis! Foi o grupo que mais me ajudou a perceber, no começo, que vegano não se alimenta apenas de arroz e salada. Rs.

Filmes que indico para conscientização: Cowspiracy, Terráqueos, A Carne é Fraca.

Canal no YouTube de receitas veganas: Presunto vegetariano, Vegetarirango.

No Instagram, eu sigo a @pinheirogabrielle, que é uma brasileira que mora na Alemanha e dá várias dicas. Ela é vegana, dá informações de alimentação, treino etc. Enfim, uma ótima opção para quem quer se alimentar de maneira mais saudável e que não cause sofrimento.

A @yasminbrunnet1 e a @nathaliaguimaraes_nutri também dão dicas bem legais.

Tem também a Alana Rox, autora do livro “Diário de uma vegana”, com sua página no Facebook The Veggie Voice e Instagram @theveggievoice.




PESQUISAR:

Débora Campos - autora
apoie o blog viverdequê?
quer anunciar no viverdequê?