Eliana Castro / História e dicas de uma vegana | VIVERDEQUÊ?
Fechar

Inscrição para o Curso: LEITES VEGETAIS - 10 NOV


30.mai
30.mai
Eliana Castro / História e dicas de uma vegana

Olá! Sou a Eliana Castro, tenho 32 anos, moro em BH, sou vegana, apaixonada por animais, produtos de beleza e por comida bem-feita. Eu sou engenheira e passo boa parte do tempo navegando no mundo dos cosméticos em busca de produtos genuinamente veganos e que realmente funcionam. Sou vegana desde 2007, vegetariana desde os 15 e nunca pensei em desistir.

Quando eu não estou pesquisando, escrevendo ou postando sobre cosméticos cruelty free e estilo de vida vegano no meu blog Beleza Vegana, provavelmente estou checando sites de notícias sobre direitos animais e meio ambiente, lendo meus blogs feministas favoritos, debatendo sobre diversos assuntos (adoro discussões saudáveis) e assistindo vídeos sobre receitas veganas no YouTube. Adoro vídeos do tipo: “what I eat in a day – vegan” (“o que eu como em um dia – vegan”). Já que eu amo comer, passo um tempão na academia ou correndo/pedalando ao ar livre. De vez em quando eu viajo para fazer tour gastronômico em São Paulo, que é o paraíso para quem quer experimentar comidas veganas gostosas. Mas o que eu mais tenho prazer em fazer é passar o tempo com as minhas 6 fofuras: 4 cachorros e 2 gatinhos, todos adotados.

O que me levou a ter um estilo de vida vegano?

Fui criada em Belo Horizonte, mas sempre viajava de férias para a fazenda onde minha avó mora no sul de Minas. Meus pais sempre me ensinaram a respeitar os animais de lá, que eram vacas, bois, galinhas, gatos e cachorros, apesar de que eventualmente as aves (principalmente os galos) eram mortas para virarem almoço. Eu presenciava constantemente que os bezerros, logo que nasciam, eram separados das mães para que eles não “roubassem” o leite de nós, bezerros humanos, e isso lhes causava um enorme sofrimento. Aquilo me despertava uma noção de que havia algo cruel em usar os animais para o nosso prazer. No ano 2000, tive contato com o estilo de vida vegetariano e resolvi parar de comer carne ao me deparar com um frango inteiro assado na mesa. Mais tarde, em 2007, eu e meu namorado assistimos os 3 primeiros capítulos do documentário Terráqueos, que foram decisivos para nos tornarmos veganos.


Como eu me tornei vegana muito nova, acho que eu posso oferecer dicas para quem quer se tornar vegano, mas mora em uma casa onde as pessoas não são:

– Seus pais não abrem mão das carnes e derivados animais e você depende deles financeiramente?
A primeira coisa a ser feita é ter uma conversa aberta sobre quais foram as suas motivações e porque se tornar vegano/vegetariano é tão importante para você. Depois que eles conseguirem entender o seu ponto, tente reunir artigos científicos sobre nutrição, palestras de nutricionistas e livros que mostrem a viabilidade da dieta vegana para que se desmitifique qualquer ideia de que veganos terão deficiências nutricionais. Sabemos que é perfeitamente possível suprir todos os nutrientes que precisamos tendo uma dieta livre de animais, mas seus pais muitas vezes querem comprovar que esse fato procede com profissionais. Se puder levá-los a algum nutricionista/nutrólogo, melhor. Na época, eu consultei com o nutrólogo Ênio Cardillo em BH e apesar de não ser vegano, ele tranquilizou a minha mãe sobre a minha nova dieta. A partir daí, faço exames de sangue todo ano para checar os níveis de ferro, vitamina B12 etc. Como tomo suplemento de vitamina B12 e me alimento bem, nunca tive deficiências.

– Como adequar seu almoço/jantar com o servido pela família?

Talvez o almoço servido na sua casa contenha apenas arroz e salada livres de qualquer ingrediente animal. Existe a possibilidade do feijão conter bacon ou caldo de carne, do purê de batata conter leite ou manteiga e do macarrão conter ovos na massa. Por isso, tente negociar. Se antes os seus pais gastavam dinheiro no supermercado comprando carnes para você, peça para transferir essa quantia para carnes vegetais, grãos, hambúrgueres veganos etc; trocar leite de vaca pelo de soja; a massa com ovos por uma grano duro/sêmola; os queijos pelo tofu; produtos de higiene testados em animais por produtos de marcas que não testam; e incluir mais legumes e frutas para você. Se reclamarem que a compra ficou mais cara, invista menos em industrializados e procure comer mais legumes, grãos, cereais, verduras e frutas, além de tentar fazer você mesmo receitas em casa (tem que aprender a cozinhar!). Dessa forma, a compra vai ficar até mais barata. É só pesquisar o preço do kg de picanha para ver que dá pra comprar muitas coisas com o dinheiro que se gastaria com ela.

Confesso que se tornar vegano não é fácil. Mas sair do papel de explorador nunca é fácil. Poucas pessoas estão dispostas a sair da zona de conforto por causa de animais. O lado bom nessa história é que você não está sozinho e tem muita gente disposta a ajudar. Qualquer dúvida é só perguntar, que será um prazer responder!




PESQUISAR:

Débora Campos - autora
apoie o blog viverdequê?
quer anunciar no viverdequê?